Divulgação de notícias e de opiniões sobre questões de interesse para a área criminal do Direito.

.posts recentes

. Difamação ou liberdade de...

. Violência doméstica - pra...

. Condução de bicicleta enq...

. Declarações de arguido (n...

. Crime de ameaça (toxicode...

. Proibição de conversas in...

. Crime de perseguição.

. Crime de pornografia de m...

. O simplex nos tribunais. ...

. Delação premiada / impuni...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2011

Quarta-feira, 4 de Junho de 2014

Ordem dos Advogados - Apresentação de queixa criminal contra os membros do Governo.

Em 30 de Maio de 2014 foi realizada uma Assembleia-Geral Extraordinária da Ordem dos Advogados.

Esperava-se uma atitude firme por parte da OA de forma a impedir um ataque sem precedentes à população portuguesa com a implementação de um mapa judiciário que contém alterações meramente economicistas.

 

O que tivemos (vêr em baixo) foi um conjunto de medidas para a comunicação social, que não terão qualquer impacto prático. O Governo ficou sem dúvida satisfeito com esta Assembleia.

 

Os ministros, secretários de estado e afins deste Governo até se devem ter rido à gargalhada da intenção de apresentar uma queixa criminal contra todos os seus membros.

 

Às vezes é preferível não tomar medidas do que fazê-lo de forma inócua e desprestigiante.

 

 

 

 

 

DELIBERAÇÕES TOMADAS:

 

 

"Os Advogados Portugueses reunidos em Assembleia-Geral Extraordinária deliberaram adoptar as seguintes medidas contra o Novo Mapa Judiciário:


I. Organização de uma conferência de jornadas nacionais sobre o Mapa Judiciário com cobertura mediática.
Aprovada com um voto contra
II. Organização de um protesto nacional em conjunto com a ANMP em frente à Assembleia da República.
Aprovada com um voto contra e uma abstenção
III. Apresentação de uma queixa-crime contra todos os membros do Governo por atentado contra o Estado de Direito.
Aprovada por maioria    

Estiveram presentes na Assembleia Geral, realizada em Lisboa a 30 de Maio, 303 Advogados e representados 698 por procuração.    

A Bastonária da OA reiterou a recusa da figura do defensor do público afirmando que  "No dia em que a Senhora Ministra implementar o sistema do defensor público a Ordem dos Advogados paralisará o Sistema de Justiça"."

 

Em: Portal da Ordem dos Advogados

 

 

publicado por Pedro Miguel Branco às 12:18
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds