Divulgação de notícias e de opiniões sobre questões de interesse para a área criminal do Direito.

.posts recentes

. Violência doméstica - pra...

. Condução de bicicleta enq...

. Declarações de arguido (n...

. Crime de ameaça (toxicode...

. Proibição de conversas in...

. Crime de perseguição.

. Crime de pornografia de m...

. O simplex nos tribunais. ...

. Delação premiada / impuni...

. Responsabilidades parenta...

.arquivos

. Setembro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2011

Domingo, 30 de Outubro de 2016

Alteração do Código Penal - Rábula de um possível futuro.

O Ministério da Justiça, ao que parece, sem qualquer estudo ou análise concreta de dados fidedignos, quer abolir (sem mais) a prisão por dias livres e o regime de semi-detenção (artigos 45º e 46º do Código Penal).

TUDO APENAS POR MOTIVOS ECONOMICISTAS. PARA REDUZIR O ORÇAMENTO ESTATAL.

 

Rábula futurista:

O Sr. Cartuxa, conhecido apreciador de vinhos e outra bebidas com teor alcoólico há décadas, foi apanhado por diversas vezes a conduzir o seu Datsun 1200, veículo automóvel antigo e fiável, ao final do dia após o fecho dos estabelecimentos típicos especializados na área da divulgação vitivinícola pelos menos endinheirados. 

Sempre convencido que o álcool faz bem ao organismo, prolonga a vida e apura a vista para a condução de veículos automóveis, foi o referido cidadão condenado criminalmente cinco vezes pelo Tribunal. Desde penas de multa a penas de prisão suspensas.

 

No último julgamento, em 2017, o já célebre Sr. Cartuxa é condenado a 6 meses de pena de prisão efectiva.

Dado que o EP de Custóias não é um hotel de 5 estrelas, e como a lei foi alterada entretanto, a pena (por ser curta) é automaticamente substituída pelo regime de permanência na habitação, vg., prisão domiciliária.

 

Ora, passa então o Sr. Cartuxa, durante 6 meses, a ter a seguinte rotina:

1 - Sai de manhã para o trabalho no seu veículo (com a pulseira electrónica na perna);

2 - Vai tomar o pequeno almoço antes de entrar ao serviço. Um café "com cheirinho" e um pastel de Chaves;

3 - Na pausa, a meio da manhã, um café e uma aguardante branca na confeitaria ao lado do local de trabalho;

4 - Ao almoço, com os colegas de trabalho, uma bela refeição de tripas à moda do Porto, bem regadas com uma caneca de tintol da casa;

5 - Como sobremesa, para digerir as "pesadas" tripas, um café curto e um bagaço;

6 - Depois inicia-se o período de trabalho da tarde;

7 - Pelas 16 horas, lanche na confeitaria ao lado. Um copinho de tinto com um bolinho de bacalhau é o suficiente. Às vezes dois copitos, porque trabalhar ainda cansa;

8 - Pelas 18 horas sai do local de trabalho. Antes de ir para casa, mais um copito (ou dois) de tinto refrescante na confeitaria ao lado;

9 - Rapidamente se lembra que tem de ir para casa, pega no velhinho e fiável Datsun 1200, e enfrenta o trânsito para ir descansar do longo dia de trabalho;

10 - Alguns insultos e travagens bruscas depois, chega a casa, estaciona à entrada e mete a chave na porta;

11 - Ao entrar sente um grande vazio. O que fazer até ao dia seguinte?

12 - Convida então uns amigos para jantar de modo a passar o tempo. Como não pode saír de casa, o restaurante escolhido é o "chez moi";

13 - Pelas 21 horas, e após a tomada de uns aperitivos pré-jantar, uns meros copitos de tinto alentejano, começam a chegar os convidados:

- A Sra. Alorna, o grande Velho do Monte, o Sr. Soalheiro, a D. Maria, o Sr. Ferreirinha e o Sr. Burmester;

14 - Durante o jantar, muitos brindes são feitos em honra do Tribunal que possibilitou ao Sr. Cartuxa continuar a conviver com os seus velhos amigos;

15 - No final do jantar, bem regado, o Sr. Cartuxa, como não pode saír de casa (afinal está a ser punido por beber e conduzir na via pública), vai dormir na sua bela cama a vêr os comentários dos célebres comentadores desportivos até às 23h56m (a publicidade até às 00 horas leva ao adormecimento);

16 - No dia seguinte a rotina é a mesma;

17 - Seis meses depois a pesada pena está cumprida. O Sr. Cartuxa organiza um jantar para celebrar com os seus velhos amigos, mas desta vez fora de casa, no Solar dos Arrependidos. No final de um jantar bem regado, abre a porta do seu fiável Datsun 1200 e conduz até casa. Muitos que o encontram pelo caminho, desviam-se. Afinal a alegria é imensa e ninguém o quer aborrecer.

 

A Justiça falou e decidiu.

O Sr. Cartuxa foi dormir. A casa. Novamente.

 

Moral da história:

Tenham cuidado com os Datsun 1200 que por aí ainda circulam!!!

 

 

publicado por Pedro Miguel Branco às 14:35
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.subscrever feeds